Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: C:\Users\Ervas\Desktop\ervas e doencas\aborto_arquivos\image001.jpg

Voltar a pagina inicial

Convalescença

Fone 43 3325 5103

Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Hospital do Mar

Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Convalescença

Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Consultas Médicas

Convalescer no Hospital do Mar é fazer uma reabilitação intensiva ou uma recuperação clínica segura em conforto e num ambiente amigável.

A opção pelo Hospital do Mar na convalescença permite encurtar o período global de recuperação e promover o regresso a casa nas melhores condições.

O Hospital do Mar, dispondo de todas as valências necessárias à sua atuação e contando com o apoio dos recursos disponíveis noutras unidades Luz Saúde, oferece os melhores cuidados clínicos, acompanhados de um reforço das componentes de reabilitação e conforto, a preços mais acessíveis.

Cuidados especiais para cada situação

Na área da convalescença, esta unidade presta cuidados de saúde personalizados especialmente dedicados a:

  • Doentes em recuperação de intervenções cirúrgicas ou de doenças graves, passada a fase de diagnóstico ou intervenção aguda. Estes doentes já não necessitam de internamento num hospital de agudos, mas carecem de cuidados médicos e de enfermagem e de uma supervisão especializada e permanente antes do seu retorno a casa.
  • Doentes que necessitam de estabilização médica consequente a episódios de agudização de doenças crónicas.
  • Doentes com necessidade de programas de reabilitação específicos, especialmente na área ortopédica e neurológica.

Um trabalho conjunto

Nas situações de convalescença, as equipas multidisciplinares do Hospital do Mar, num trabalho conjunto e com a participação ativa das famílias, avaliam os doentes e identificam as suas necessidades, estabelecem os objetivos a atingir, desenvolvem planos específicos de intervenção terapêutica e monitorizam os seus resultados, procurando maximizar a capacidade e resistência física e emocional, a autonomia e o bem-estar para o regresso a casa. Neste contexto, as equipas do Hospital do Mar orientam também os cuidadores sobre as exigências inerentes à situação dos doentes e sobre o apoio que lhes será necessário prestar.

Além do cumprimento dos planos de recuperação delineados, e sempre que possível, os doentes em convalescença no Hospital do Mar são incentivados a participar ativamente nas decisões relativas ao seu tratamento e em todas as atividades quotidianas e de lazer que possam desenvolver.

Todos os recursos necessários nas melhores condições de conforto

Para os doentes em convalescença, o Hospital do Mar oferece condições físicas de exceção, entre as quais se incluem quartos privativos com um ambiente familiar, áreas de refeições e de entretenimento comuns e jardins exteriores amplos com zonas de lazer e terapêutica, além de áreas médicas e de reabilitação com todos os recursos necessários.

Nos cuidados prestados aos doentes, o Hospital do Mar mantém também uma estreita colaboração com as restantes unidades Luz Saúde, nomeadamente com o Hospital da Luz, o que permite uma intervenção atempada em qualquer situação necessária e colaborações continuadas em situações específicas.

Uma opção adequada

O custo inferior que a opção pelo Hospital do Mar tem para os doentes e o ambiente agradável e acolhedor que aqui se vive, que se pretende tenha uma contribuição decisiva para a convalescença dos doentes, traduzem-se numa maior eficiência, qualidade e conforto durante a convalescença.

 

CATUABA

Anemopaegma arvense (Vell.) Stellf.

Familia: Bignoniaceae

Sinonímia: Pau-de-resposta, guaraná em pó, marapuama,

 

Origem:

 

Amazônia Brasileira, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e São Paulo

 

Partes usadas: Raiz, Casca e folhas

 

 Princípios ativos: alcalóide (semelhante à atropina e à ioimbina), substâncias amargas (catuabina), matérias aromáticas, taninos, resinas, lipídeos.

 

 Propriedades medicinais: estimulante geral, afrodisíaco;  peitoral, tônico, afecções do sistema nervoso (falta de memória, nervosismo, insônia, etc.), convalescença de doenças graves, expectorante, anti-sifílico;  paralisias parciais.

Propriedades Farmacológicas:

Indicações: afecção do sistema nervoso, bronquite crônica, concentração, convalescença de doença grave, doenças nervosas e emocionais, esgotamento, falta de memória, fraqueza, frigidez, hipocondria, impotência sexual, insônia nervosa, insuficiência mental, nervosismo, neurastenia, paralisia parcial, raciocínio.

Contra-Indicação:  portadores de glaucoma têm que conferir a pressão ocular e evitar o uso contínuo de  pois ela vergatezo pode aumentar o glaucoma e arritimia cardiaca; Paciente com pré-excitação ventricular, como no caso da síndrome de Wolf-Parkinson-Wite, podem desenvolver taquicardia; Pessoas sensíveis podem ter cefaléia por causa do ioimbina; Contra indicado para grávidas, recém-nascidos e crianças pequenas.

Efeitos Colaterais:

Duração da Administração: plantas medicinais deve ser usada no maximo um mês depois para por três meses.

Interações Medicamentosas:

Como usar: colocar cerca de 20g. em um litro de vinho (só ou misturado com marapuama), deixar 5-7 dias e tomar um cálice nas refeições; decócto; infusão no álcool, uso externo.

 

- 20 g no vinho branco (pode misturar marapuana). Deixar 7 dias e tomar um cálice nas refeições: estimulante geral, afrodisíaco;

- infusão no álcool, para uso externo: paralisias parciais.

- pó das folhas: 0,5 g três vezes ao dia: afrodisíaco e tonificante do sistema nervoso, doenças nervosas e emocionais, período de convalescença de doenças graves, dificuldade de raciocínio e concentração, impotência sexual;

- extrato fluído das folhas: duas colheres das de sobremesa ao dia três vezes ao dia.

- infusão das folhas. Tomar 2 colheres de sobremesas ao dia: afrodisíaco, tonificante do sistema nervoso, doenças nervosas e emocionais, período de convalescença de doenças graves, dificuldade de raciocínio, concentração, impotência sexual;

- decocção da casca: afecções do sistema nervoso, falta de memória, nervosismo, anti-sifílico, convalescença, digestão, esgotamento, estimulante, expectorante, frigidez, fraqueza, hipocondria, insônia (de origem nervosa), impotência sexual, insuficiência mental, neurastenia, neurastenia, peitoral, tônico e estimulante do sistema nervoso.

Farmacologia: A catuaba modifica as funções neuro-vegetativas, a n ivel dos centres nervosos e dos impulses nervosos dos nervos motores.

Os alcaloides atropinicos causam midriase por paralisa-cao das fibras musculares da pupila; Verificou-se que a Catuaba tern atividade parassimpaticometica e adrenergica. A iombina reduz a adesividade plaquetária, tem ação vasodilatadora e protetora do endotelio capilar; Dila-ta a arteria peniana e aumenta o tempo de ereção.

Posologia: Adultos: 10 a 20ml de tintura divididos em 2 ou 3 doses diarias, diluidos em água; 2g de erva seca (1 colher de sopa para cada xícara de água) de rizomas em decocção até 3 vezes ao dia.

Observações: Por informação dos indígenas é empregado na impotência sexual, existem outras espécies conhecidas como catuaba, com as mesmas ações medicinais como Erythroxylum catuaba